Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Apenas o “Escravo Fiel e Prudente” tem o direito de estudar e interpretar a Bíblia?

Apenas o “Escravo Fiel e Prudente” tem o direito de estudar e interpretar a Bíblia?

É comum os opositores levantarem a afirmação de que as Testemunhas de Jeová não podem fazer suas próprias pesquisas bíblicas, pois têm de esperar apenas pelas provisões que o Escravo Fiel e Prudente (corpo governante) publica. Dessa forma, as Testemunhas de Jeová não podem buscar com diligência as coisas profundas e nem investigar biblicamente algo contrário aos ensinos, pois devem esperar tudo pronto e acabado, transmitidos por aqueles que tomam a dianteira na obra mundial. Será isso verdade?

No momento, o Escravo Fiel e Prudente é formado por sete membros: Anthony Morris III, David Splane, Geoffrey Jackson, Gerrit Lösch, Mark Sanderson, Samuel Herd e Stephen Lett. Eles têm a função de supervisionar e administrar a obra das testemunhas de Jeová em toda a Terra, isso inclui: publicações, reuniões e escolas das Testemunhas de Jeová, obra de pregação, donativos, etc..

 Apesar de serem chamados de “corpo governante”, tornam-se quais escravos do seu amo. (Mateus 24:45-47; 1 Coríntios 11:3; Efésios 5:23.) E seguem o modelo deixado pelos “apóstolos e os anciãos” em Jerusalém no primeiro século, que tomavam as mais importantes decisões sobre a recém formada congregação cristã. (Atos 15:2) Igual ao primeiro século eles chegam a decisões unânimes por se sujeitarem às Escrituras e à influência do espírito de Deus. (Atos 15:25)

No entanto, com o passar do tempo as Testemunhas de Jeová tiveram que fazer ajustes em alguns entendimentos. Para chegar a um entendimento mais claro das escrituras é necessário que a luz da verdade clareie aos poucos, até ficar visivelmente iluminado. (Provérbios: 4:18). Mas, uma vez que existem apenas sete membros que tomam a dianteira, nenhuma das mais de 8 milhões de Testemunhas de Jeová podem chegar a um entendimento mais claro sobre determinado assunto, ficando assim o entendimento restrito apenas ao corpo governante?

É fato que indivíduos chegaram a discernir certas verdades antes de as mesmas se tornarem reconhecidas pela inteira parte terrestre da organização de Jeová. Podemos citar os exemplos sobre a questão da neutralidade (Despertai 22/09/87 &17) e o da compreensão quanto a identidade das autoridades superiores de Romanos 13:1. (A Sentinela 15/05/95 &4-5) Sabe-se também que alguns que em decorrência disso, desligaram-se da congregação das Testemunhas de Jeová. Tinham elas razão nisso? Bem, ao passo que talvez tivessem razão quanto ao entendimento de certos assuntos, não se pode dizer o mesmo das ações que tomaram. Afinal de contas, onde estão hoje? Pregam as boas novas do reino em obediência a Jesus? (Mateus 28:19,20) Santificam o nome de Jeová? (Mateus 6:9,10) A resposta é clara: não! E por quê? “Saíram do nosso meio, mais não eram dos nossos, pois se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco.” (1 João 2:19) Não tiveram a atitude dos apóstolos de Jesus que em certa ocasião quando não compreenderem certo ensino do mestre, admitiram candidamente: “Senhor para quem iremos? O Senhor tem declarações de vida eterna.” (João 6:48-70; Zacarias  8:23) O que se deve fazer? A Sentinela de 1 de dezembro de 1982, páginas 15-16, responde:

Às vezes, alguns trazem à atenção da classe do “escravo” diversos assuntos doutrinais ou organizacionais que acham que deveriam ser revisados. Certamente são apropriadas as sugestões para melhora, assim como o são as perguntas para se obter esclarecimento. Um exemplo disso foi quando Paulo, Barnabé e outros foram enviados a ‘subir até os apóstolos e anciãos em Jerusalém’ com respeito à circuncisão. Quando aqueles anciãos de Jerusalém decidiram a questão, sob a orientação do espírito santo, enviaram então irmãos a diversas cidades para ‘entregar aos que estavam ali, para a sua observância, os decretos decididos pelos apóstolos e anciãos, que estavam em Jerusalém’. A sujeição leal a esses decretos resultou na bênção de Jeová. Assim, “as congregações continuavam deveras a ser firmadas na fé e a aumentar em número, dia a dia”. — Atos 15:1 a 16:5.
 O espírito correto, depois de se ter oferecido sugestões, é contentar-se em deixar o assunto entregue para ser considerado com oração pelos irmãos maduros que dirigem a obra na organização de Jeová. Mas, se os que fazem as sugestões não se contentarem com isso e continuarem a discutir o assunto nas congregações, visando conseguir o apoio de outros, qual será o resultado? Isso criará divisões, e poderá subverter a fé de alguns. Por isso, Paulo aconselha: ‘Fiquem de olho nos que causam divisões e motivos para tropeço contra o ensino que aprenderam, e. . . evitem-nos.’ Paulo aconselhou também Tito a “repreender os que contradizem”, acrescentando: “É preciso fechar a boca de tais, visto que estes mesmos persistem em subverter famílias inteiras por ensinarem coisas que não deviam . . . Por esta mesma causa persiste em repreendê-los com severidade.” — Romanos 16:17, 18; Tito 1:9-13.

Nota-se que é apropriado oferecer a classe do escravo sugestões para melhora de assuntos doutrinais ou organizacionais, de modo que NENHUM MEMBRO DA ORGANIZAÇÃO DE JEOVÁ esta impedido de fazer isso. No entanto, antes de assim agir é próprio apresentar o assunto aos anciãos locais, pois talvez eles possam ponderar sobre o que já tem sido feito naquele respeito. De qualquer forma, aquele que agir com esse intuito precisará manifestar o espirito correto após remeter as sugestões, que é contentar-se em deixar o assunto entregue para ser considerado com oração pelos irmãos maduros que dirigem a obra na organização de Jeová e não discutir o assunto nas congregações visando conseguir apoio de outros. Sigamos os exemplos bíblicos:

“Ao viajarem pelas cidades, transmitiam aos irmãos as decisões tomadas pelos apóstolos e pelos anciãos em Jerusalém, para que obedecessem a esses decretos. Assim, as congregações eram fortalecidas na fé e cresciam a cada dia.” – Atos 16:4,5.


* Fonte da imagem: https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/vontade-de-jeova/corpo-governante-testemunhas-jeova/

14 comentários:

  1. falando sobre dúvidas sobre algum ensino, a revista A Sentinela 1/10/99 pág 05, diz assim no parágrafo 04:

    *Por outro lado, se não compreendermos plenamente certos textos bíblicos, ou explicações fornecidas nas publicações da Torre de Vigia, será que temos motivos para ficar impacientes? O proceder sábio é aguardar o tempo determinado para Jeová esclarecer os assuntos. “Pois o Soberano Senhor Jeová não fará coisa alguma sem ter revelado seu assunto confidencial aos seus servos, os profetas.” (Amós 3:7)*

    *Que promessa maravilhosa! Mas, temos de dar-nos conta de que Jeová revela seus assuntos confidenciais no tempo que ele acha aconselhável. Para este fim, Deus tem autorizado um “escravo fiel e discreto” a dar ao povo dele “o seu alimento [espiritual] no tempo apropriado”. (Mateus 24:45) Por isso, não há motivo para ficarmos demasiadamente preocupados, ou mesmo agitados, por certos assuntos não terem sido plenamente explicados. Antes, podemos confiar que, se esperarmos pacientemente por Jeová, ele fornecerá o que for necessário “no tempo apropriado” por meio do escravo fiel.*

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Ao contrário do que os opositores pensam, as tj se fortalecem cada dia mais.

      Excluir
  3. Maravilhoso artigo. Ainda sou apenas um estudante, mas tenho encontrado muita apostasia e opositores nesse mundo virtual. A decisão é sempre pesquisar o lado da organização, e sempre que faço isso, aumenta cada vez mais minha convicção de estar tomando o único lado certo, o do povo de Jeová. Obrigado também pela ajuda prática com assuntos práticos. Vocês mastigam as várias informações do site oficial e das publicações e nos passam de forma bem contundente a mensagem. Obrigado irmãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um grande prazer ouvir seus comentários, Raniere. É bom saber que o blog serve de ajuda. Lembre-se de que quando um apóstata tenta dizer que você, por está estudando com as TJ, está sendo engando, reflita: qual é a verdade que essa pessoa tem? Percebemos que sentimentos como ódio e amargura é o que lhes restam. Embora tais indivíduos espalhem mentiras feito "gangrena" (2 Timóteo 2: 16-18), morrerão com sua doença, "não serão lamentados, nem serão recolhidos, nem enterrados. Eles se tornarão como estrume sobre o solo" (Jeremias 25: 33).

      Excluir
  4. Ótimo texto!
    Ei, como faço para adquirir o livro "Bíblia, palavra de Deus ou do Homem?"? Se eu for ao Salão solicitar eles me dão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Se por acaso não tiver ou não conseguir no salão, basta solicitar pelo site:http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102003014

      Excluir
  5. As vezes surgem dúvidas, coias de "bastidores" mesmo, que normalmente comentamos com amigos bem achegados; dúvidas pessoais, etc... Mas, realmente, a bíblia é bem clara quando nos exorta a ter paciência, pois sabemos muito bem que as verdades da parte de Jeová nos chegam de forma gradual e termos um corpo que governa os assuntos mantém as coisas organizadas e pacíficas... No fim, todos alcançamos a luz da verdade... Basta termos fé e paciência, esperando por Jeová, o Revelador de segredos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ruim é que pessoas mal intencionadas querem ser "inteligentes", afastando-se de Deus e querendo levar consigo outras pessoas. Obrigado por participar do blog.

      Excluir
  6. Muito bom. Os apóstatas deveriam ter vergonha de lerem matérias como essas e ainda continuarem mentindo. V.G.S.

    ResponderExcluir
  7. Um dos leitores com as siglas "L.S" levantou a questão sobre se o que hoje é ensinado poderá amanhã ser mentira, uma vez que, até mesmo recentemente houve mudanças de entendimento sobre alguns assuntos. Ele disse: "...podem está contando uma mentira e atribuindo ela a Jeová". As testemunhas de Jeová nunca afirmaram que são infalíveis e que são profetas, pelo contrário, acreditam que ao passo que o fim se aproxima, seus entendimentos sobre a Bíblia aumentam. Não é uma questão de verdade ou mentira, mas de certo ou errado. Os princípios não mudam: trindade, inferno, pregação, nome divino, etc. Como exemplo podemos citar o assunto "Gogue de Magogue", houve um ajuste, este assunto não é uma doutrina central das tj, mas faz parte de seus conhecimentos sobre a Bíblia, conhecimento que pode ser ajustado, sim. Não é errado atribuir as coisas boas, inclusive o conhecimentos que temos hoje, a Jeová. Se as tj erraram em alguns assuntos, não foi Jeová quem os fez errarem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... O livro de Apocalipse para muitas pessoas é considerado muito difícil de entender, pois existe muita coisa simbólica porém as Tj já explicaram todos os capítulos e versículos. Será que dentre tantos assuntos já explicados não há nenhum que poderá ser ajustado? É claro que poderá. Mas é justamente por buscar o conhecimento e trabalhar em cima dele que poderemos compreender o que Jeová quer que saibamos. No momento certo Ele revela seus segredos sagrados.

      Excluir
  8. Não devemos permitir que dúvidas, muitas vezes de somenos importâncias, venham nos desestabilizar na fé. Pois, maiores são as convicções e podemos estar certos que temos o suficiente de alimento espiritual para fazermos a vontade de Deus e atingirmos o objetivo da nossa Adoração a Jeová Deus.

    ResponderExcluir